Postado em: 08/04/2021

Pilota saia ilesa de acidente na Extreme E, graças a tecnologia de nióbio presente na estrutura do automóvel

Primeira etapa da história da Extreme E levou emoção ao deserto da Arábia Saudita.

Foto Divulgação/CBMM

A pilota alemã Claudia Hurtgen escapou ilesa do grande acidente ocorrido durante as disputas da primeira etapa da temporada inaugural da Extreme E no último sábado (3). O capotamento ocorreu durante a primeira classificação na Arábia Saudita, quando as rodas do SUV elétrico entraram na areia fofa do deserto, fazendo com que o veículo capotasse quatro vezes até parar. A prova de fogo comprovou a eficácia do chassi feito de uma estrutura tubular de liga de aço reforçada com nióbio. Após o capotamento, foi constatado que não houve nenhum dano à estrutura do automóvel.

O acidente impressionou o público, não só por sua proporção, mas, também, pela estrutura do veículo que comprovadamente aguenta fortes impactos na gaiola de proteção. “Hoje, houve momentos em que parecia que o coração ia sair pela boca, principalmente no acidente com a Claudia Hürtgen, da ABT CUPRA XE. Acredito que todos nós ficamos contentes ao vê-la sair caminhando do carro - isso é uma comprovação do trabalho da CBMM | Niobium com o chassi robusto e resistente, que passou hoje pelo seu teste definitivo e entregou resultado”, disse Alejandro Agag, fundador da Fórmula E.

A CBMM foi parte integrante do desenvolvimento do SUV elétrico, que utiliza nióbio em sua estrutura, tornando-o mais leve, forte, robusto e confiável, promovendo energia e melhor desempenho. A resistência e durabilidade adicionais oferecidas pela tecnologia de nióbio ajudam o chassi do veículo a lidar com os desafios mais difíceis.

“Já na etapa inaugural da Extreme E, no Desert X-Prix na Arábia Saudita, foi possível testar no limite a superestrutura e a extrema segurança do Odyssey 21, o e-SUV da saga, que conta com o uso da tecnologia do nióbio da CBMM e foi desenvolvido em conjunto com a francesa Spark. Ver a Claudia Hurtgen sair caminhando normalmente após um acidente impressionante, numa cena que viralizou no mundo, reforçou que o trabalho foi bem feito e que o uso de materiais de alta resistência ajuda tanto em questões de sustentabilidade como também salva vidas”, diz Giuliano Fernandes, Head de Marketing e Comunicação da CBMM.

Mais lidas